A ida ao parque aquático de Amarante e ao paintball fizeram parte das saídas de verão. Já tinha ido ao paintball o ano passado, também com a ART, mas sente-se a mesma adrenalina que a primeira vez… Por falar em primeira vez, eu nunca tinha ido a um parque aquático e foi brutal. Às vezes penso na volta que a minha vida deu… Antes olhava para mim e via-me como uma pessoa que não vale a pena, que tem vícios, que tem um comportamento que a sociedade não aprova… Eu não esperava mais nada da vida a não ser o que já conhecia…

E depois fui obrigada a vir para a ART, onde me deram esperança de uma vida diferente, onde me ensinaram valores, onde criei laços fortes e verdadeiros, onde me ensinaram a ser um verdadeiro ser humano, onde todas as emoções são sentidas de verdade, onde me deram imensas oportunidades que nunca me tinham passado pela cabeça poder vir a tê-las… Pois é, a ART fez mesmo a diferença na minha vida. Isto tudo para dizer que são raros os jovens que têm umas férias como nós temos aqui, não esquecendo que nunca se entra em férias da reabilitação!

As saídas são importantes para nós porque estamos fora do ambiente da comunidade terapêutica e isso leva a dois pensamentos, dependendo do processo e perceção da pessoa. Um pensamento é procurar como ficar tóxico e sentir frustração e saudade do passado. O outro pensamento é apenas aproveitar o momento com aquelas pessoas. Nas saídas também estamos em contacto com a realidade, com outras pessoas, podemos observar os comportamentos das pessoas, podemos apanhar ar… É importante termos estes contactos com o exterior para a nossa reinserção na sociedade ser mais fácil quando sairmos.

Nada acontece por acaso, tudo faz parte do processo terapêutico.

Obrigada ART, não só pelas oportunidades, mas por tudo!

Texto redigido pela utente Lara Araújo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *