No passado dia 28 de novembro, um grupo de oito jovens saiu da comunidade para representar a ART de Magrelos e assistir a uma conferência sobre Indústrias Criativas e Turismo Industrial. Na conferência estiveram presentes várias escolas profissionais e alunos das mesmas. Estiveram também presentes vários professores de universidades de Portugal, mais da zona Norte do país.

Na primeira palestra, o Dr. Pedro Sobral de Carvalho, que pertence às Industrias Criativas, apresentou um PowerPoint que tinha como tema “Dar Cor ao Património”. Em que falou sobre o facto de haver muito património em Alpendorada, por exemplo, e a comunicação que é usada para transmitir esse património e a forma como o vemos está errada. Alertou para que deveríamos ter uma forma apelativa e para que não sejamos “ignorantes” no nosso próprio país. Portugal tem imenso património, a questão que se coloca é a forma como comunicamos isso para o mundo, que muitas vezes está errada. A conclusão a que chegamos foi que as Indústrias Criativas não são só uma ferramenta tecnológica, mas são sim das indústrias mais importantes para levar Portugal para a frente.

Na segunda palestra o professor doutor Marcelino Lopes, da universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, falou sobre a Criatividade e Animação Turística. Animação é o “ver” por “envolver”. Portanto, ver um património é diferente de se envolver nele e gostarmos de viver nele. É importante dar vida ao património e não o ignorarmos e fazê-lo passar despercebido. Uma representação histórica, é por exemplo, se tivermos uma pedra, já se pegarmos nela e a esculpimos é dar-lhe vida.

A conclusão desta conferência, é que não é sermos só doutorados e formados. Porque os dois professores são formados, mas ambos dizem que não é só ter formação.
Para sermos criativos e capazes, temos de ver o mundo de forma diferente.  

Por último, gostaria de agradecer ao centro social e paroquial de Alpendorada que nos direcionou o convite e felicitá-los por esta iniciativa tão importante para o crescimento do nosso país e, em especial, desta região.

 

Texto  elaborado pela utente Inês Rodrigues

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *