A visita do grupo coral de Rio de Moinhos chegou à nossa comunidade por volta das duas e meia da tarde. Inicialmente fizemos as nossas apresentações. De seguida fizemos um jogo onde nos misturamos com os jovens do grupo coral e formamos quatro equipas em que o objetivo era conseguir desenhar uma imagem com palitos com indicações dos líderes de cada uma das equipas. De seguida os jovens Guilherme e Tomás da nossa instituição cantaram juntamente com uma jovem do grupo coral, a Joana. Por fim, o grupo coral presenteou-os com uma música escrita por eles e nós, como forma de agradecimento e de despedida, lemos um poema, escrito por mim, que falava do que os jovens sentem e agradecendo a visita deste grupo.

Este tipo de visitas é importante para que a sociedade entenda que nós não somos, ou melhor, que já não somos, os jovens problemáticos que éramos. É importante para nós passarmos esta ideia, de que somos jovens completamente normais ou, pelo menos, estamos a lutar, todos os dias, para isso.

Poema para rio de moinhos

 

Não sei o que sinto

Mas queria sentir

O meu sentimento desbaralhar-se

Para em frente conseguir seguir!

Também não sei o que penso

Mas queria conseguir pensar

No que realmente é importante

Em algo que valha a pena para ganhar

Para ser sincero sei o que faço

Não tem a ver com o pensamento e sentimento

Mas sim na Atitude que se aplica

Eu não quero chegar ao isolamento

Ás vezes sinto-me baralhado

A minha vida é uma simples sorte

É como um pequeno dado

Mas que tento ir para o lado mais forte

Uma coisa tenho a certeza

Que tenho de agradecer

Esta instituição ART

Que me deu uma oportunidade para viver

Agora falar da nossa visita

Grupo Coral de Rio de Moinhos

Que perdeu tempo para vir ter conosco

Espero que sejam bem-vindos.

Espero que aproveitem

E que gostem de nós

Também das surpresas que temos

E que fique na vossa cabeça o som da nossa voz

Obrigado por terem vindo

Fizeram-nos mais um bocado especiais

Vamos cada vez mais nos esforçar

Para sermos os mais bestiais

 

Texto e poema da autoria do utente André Carvalho

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *