Fez, no dia 2 de março, um ano que chegou à Quinta do Sol e tem sido notória a sua evolução.

   O Rúben chegou-nos desacreditado nele e na possibilidade de mudar de vida. Assim foram os seus primeiros meses. Mas a partir do momento que começou a confiar na equipa e nele mesmo as coisas mudaram: o Rúben começou a controlar o seu lado tóxico e a dominar os seus fantasmas – que sempre o tinham controlado até então. Percebeu que era capaz: era capaz de mudar, de traçar objetivos e de os cumprir. Que era capaz de confiar e dominar o vício – em vez de ser dominado. Que era capaz de dar o exemplo aos outros. Percebeu que tinha valor.

   Desde então o Rúben renasceu e mostrou-se um jovem talentoso, forte e inspirador. Entrou para o 10º ano no ensino à distância, acompanhou novos utentes que entraram na comunidade, deu o seu testemunho a centenas de jovens de diferentes de escolas, é respeitado e sabe o seu valor.

    Força Rúben, o futuro é teu!

  Como forma de comemorar a sua estadia de um ano na ART o Rúben brindou-nos com o poema que apresentamos de seguida.

 

“Cheguei à ART tudo me pareceu estranho

Fiquei a pensar para onde é que eu venho

Muita gente cá estava é óbvio

E foi gigante a estranheza ao perceber que estava tudo sóbrio

 

O meu pensamento nos primeiros dias era o mesmo a toda a hora

Quando é que vou arranjar maneira de ir daqui para fora

Grande era a vontade de fugir

Durante os primeiros tempos nem conseguia sorrir

 

Passado algum tempo surgiu a vontade de mudar

E aí eu pensei para quê voltar a fumar

Mas aí surgia o tóxico que me contrariava

E era nessa altura que a vontade de fumar voltava

 

Comecei a controlar o tóxico com alguma dificuldade

Quando pensava em droga dizia “isto é só uma má fase”

Foi aí que comecei realmente a mudar

E disse para mim mesmo vou-me reabilitar

 

O que é certo é que até hoje percorro um grande caminho

E não vou desistir até chegar ao meu destino

Todos os dias luto mesmo sabendo que cansa

E o único caminho que quero alcançar é o caminho da mudança

 

O caminho é difícil, mas está a resultar

E é o único caminho possível para me reabilitar

Agora tenho a certeza que a droga não me faz falta

E vou continuar a mudar até chegar a minha alta.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *