O Entrudanças, na sua 15ª edição na simpática vila de Entradas, evocou a água numa festa que marca a mudança de ciclo, de transição, de preparação para a primavera de mais um ano. Abraçou-se assim a festa do entrudo como pretexto para comemorar a sua simbologia e a sua importância. O mesmo decorreu nos dias 09, 10 e 11 de Fevereiro, num festival para viver o Entrudo na planície Alentejana com programação diversa onde a dança, a música, o cante e a gastronomia marcaram presença. Lado a lado, participando e vivendo a programação extensa, sentimos também as diferentes propostas artísticas nacionais e internacionais que transformam o festival num espaço de diálogo intercultural permanente. Houve cantares em voz alta, onde músicas que desde tempos imemoriais, passando de geração em geração, celebram a água e nos ligam de forma incontornável à sua importância.

Já chove, já está chovendo

Já correm os barranquinhos

Já os campos estão alegres

Já cantam os passarinhos

 

Ó água que vais correndo

Para os lados do bem que adoro

Se não levas água avondo

Leva lágrimas que eu choro

 

Se fores ao Alentejo

Não bebas em Castro Verde

Que as fontes cheiram a rosas

E a água não mata a sede

 

Ó água que vais correndo

Mansamente vagarosa

Passa lá ao meu jardim

Rega-me lá uma rosa

In Cancioneiro Tradicional”

Um projecto artístico com as comunidades de Entradas e Castro Verde, onde mais de noventa participantes pensaram na sua relação sobre a escassez da água no Alentejo. Neste projecto Ana Silvestre e Márcio Pereira, juntamente com a comunidade formaram uma dupla, dinamizando sessões de expressão plástica e de movimento com o intuito de preparar uma arruada a ser apresentada no festival Entrudanças.

Este evento pretendeu aproximar a comunidade local das artes performativas, bem como envolvê-la numa dinâmica coletiva com enfoque no sentido de comunidade e igualdade. Partindo do repertório de modas do Baixo Alentejo / Cante Alentejano, alusivo à Água participaram também neste projecto, na arruada, alguns jovens da ART – Associação de Respostas Terapêuticas, assim como crianças e jovens das escolas do Concelho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *