Dizem que o amor tudo cura,

mas esquecem-se que também amargura

Não sou a melhor

mas gosto da palavra amar

 

Outrora amei e apeguei-me

mas rapidamente aprendi

que o amor é como um jogo

é proibido cegar

 

Mundo cruel, mundo cruel

aqui não há amizade

existe apenas falsidade

que reina sem indentidade

 

Não quero amar

não gosto de me magoar

nada contra quem ama

Aliás admiro os corajosos que sabem amar

 

É uma palavra demasiado forte

para ser usada banalmente

mas por acaso curiosamente

oiço-a com muita frequência

Cresci numa sociedade

onde as amizades eram feitas de droga

não cresci com príncipes encantados

convivi sempre com a bandidagem

que hoje estão de cana

a pensar nos que ficaram na lama

 

Pode não parecer

mas eu já amei

já acreditei demasiado

pensava eu que era genuíno

enganei-me

Roubou-me a inocência

Era cega mas voltei a ver

Deixei de ser a iludida e comecei a ser mais uma bandida

 

Mas eu quero amar

quebrar esta solidão

voltar a sentir emoção

e conseguir  libertar-me

 

O amor é algo sincero

é um sentimento verdadeiro

não é apenas  brincar e deitar fora

 

Autor: uma utente da ART

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *